Pedagogia como conversação complexa e deliberativa no ensino superior

José Augusto Pacheco, Joana Sousa

Resumo


Neste artigo debatemos a pedagogia no ensino superior a partir de um olhar oriundo dos Estudos Curriculares, partindo de uma noção abrangente de pedagogia, que é uma teoria e prática da educação, de um conceito de currículo como projeto, vinculado inquestionavelmente ao conhecimento, e de análises de políticas educativas e curriculares, sobretudo do Processo de Bolonha, na União Europeia. Consideramos, de igual modo, que o currículo, no seu processo de desenvolvimento, concretiza-se numa ação pedagógica, que requer, de acordo com perspetivas teóricas da reconceptualização e pós-reconceptualização curriculares, uma conversação complexa e deliberativa.


Palavras-chave


Pedagogia; Ensino Superior; Estudos Curriculares; Reconceptualização; Pós-reconceptualização

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Maria I.; PIMENTA, S. G. (Org). A construção da pedagogia universitária no âmbito da Universidade de São Paulo. IN: PIMENTA, Selma G.; ALMEIDA, M. I. Pedagogia universitária. Caminhos para a formação de professores. São Paulo: Cortez Editora, 2011, p. 19-43.

ALVES, Maria P., et al. Práticas Inovadoras no Ensino Superior. IN: LEITE, C; ZABALZA, M. (Coord.). Ensino Superior: Inovação e Qualidade na Docência. Porto: Centro de Investigação e Intervenção Educativas, da Universidade do Porto, 2012, p. 957-970.

ANASTASIO, Léa. Processos formativos de docentes universitários. Aspetos teóricos e práticos. IN: PIMENTA, S. G.; ALMEIDA, M. I. (Org). Pedagogia universitária. Caminhos para a formação de professores. São Paulo: Cortez Editora, 2011, p. 44-74.

CASTNER, Daniel J. Teaching for holistic understanding: inspirational events in study of practice. IN: HENDERSON, J. C., et al, Reconceptualizing curriculum development. Inspiring and informing action. New York: Routledge, 2015, p. 39-53.

CZEERKAWSKIE, Betül C.. Blending Formal and Informal Learning Networks for Online Learning. International Review of Research in Open and Distributed Learning, v. 17, n. 3, p. 138-156, 2016.

GALEGO, Carla; MARQUES, Fátima; TEODORO, António. Reforma do ensino superior e implementação do processo de Bolonha em Portugal. Mudanças e encruzilhadas. IN: RAMALHO,B.L.; LLAVADOR, J. B.; CARVALHO, M. E.; DINIZ, A. V. (Org.). Reformas educativas, educación superior y globalización en Brasil, Portugal y España. Valencia: Editorial Germania, 2011, p. 97-131.

HENDERSON, James C. A new curriculum development: inspiration and rationale. In J. C. Henderson et al, Reconceptualizing curriculum development. Inspiring and informing action. New York: Routledge, 2015, p. 1-33.

JUNG, Jung-Hoon, PINAR, William F. Conceptions of Curriculum. IN: D. WYSE, L. HAWARD, J. PANDYA (Ed.). Curriculum, pedagogy and assessment. London: Sage Publications, 2016, p. 29-46.

KIVUNJA, Charles. Innovative pedagogies in higher education to become effective teachers of 21st century skills: unpacking the learning and innovations skills domain of the new learning paradigm. International Journal of Higher Education, v. 3, n. 4, p. 37-48, 2014.

LAWRENCE, Melanie. Beyond the neoliberal imaginary: investigating the role for critical pedagogy in higher education. Journal for Critical Education Policy Studies, v. 13, n. 2, p. 246-286, 2015.

LEITE, Carlinda; RAMOS, Kátia. Políticas do ensino superior em Portugal na fase pós-Bolonha: implicações no desenvolvimento do currículo e das exigências ao exercício docente. Revista Lusófona de Educação, v. 27, p. 73-89, 2014.

LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e pedagogos, para quê? (6ª ed.). São Paulo: Cortez Editora, 2002.

LIBÂNEO, José Carlos. Políticas educacionais no Brasil: desfiguramento da escola e do conhecimento escolar. Cadernos de Pesquisa, v. 46, n. 159, p. 38-63, 2016.

LIBÂNEO, José Carlos; ALVES, Nilda (Org.). Diálogos entre didática e currículo. São Paulo: Cortez Editora, 2012.

LIPOVETSKY, Gilles. Da leveza. Para uma civilização do ligeiro. Lisboa: Edições 70, 2016.

LIVINGSTON, Kay. Pedagogy and curriculum – teachers as leaners. IN: WYSE, D.; HAYWARD, L.; PANDYA, J. (Ed.). The Sage handbook of curriculum, pedagogy and assessment. London. Sage Publications, 2016, p. 225-340.

MOREIRA, António Flávio (2012). Os princípios norteadores de políticas e decisões curriculares. RBPAE, v. 28, n. 1, p.180-194, 2012.

MORGADO, José C. Ensino, aprendizagem e avaliação no ensino superior: entre a conformidade e a inovação. IN: FERNANDES, D., et al. (Org). Avaliação, ensino e aprendizagem no ensino superior em Portugal e no Brasil: realidades e perspetivas. Lisboa: Educa, 2015, p. 21-44.

NOTTINGHAM, Paula. The use of work-based learning pedagogical perspectives to inform flexible practice within higher education. Teaching in Higher Education, v. 21, n. 7, p, 790-806, 2016.

OLIVEIRA, Maria Rita; PACHECO, José Augusto (Org.). Currículo, didática e formação de professores. Campinas: Papirus, 2013.

PACHECO, José A. Curriculum Studies: what is the field today? Journal of The American Association for the Advancement of Curriculum Studies, v. 8, n.1, p. 1-25, 2012.

PACHECO, José A. Políticas de formação de educadores e professores em Portugal. IN: OLIVEIRA. M. R.; PACHECO, J. A. (Org.). Currículo, didática e formação de professores. Campinas: Papirus, 2013, p. 45-68.

PACHECO, José A. Para a noção de transformação curricular. Cadernos de Pesquisa, v. 46, n. 159, p. 64-77, 2016.

PACHECO, José A. Pinar’s influence on tem consolidation of Portuguese curriculum studies. IN: M. A. DOLL (Ed.), The reconceptualization of curriculum studies. A festschrift in honor of William F. Pinar. New York: Routledge, 2017, p.130-136.

PACHECO, José A.; SOUSA, Joana. O (pós-crítico) na desconstrução curricular. Revista Tempos e Espaços em Educação, v. 9, n. 18, p, 65-74, 2016, doi:10.20952/revtee.2016vl9iss17pp 65-74

PINAR, William F. O que é a teoria curricular? Porto: Porto Editora.

PINAR, William F. Educational experience as lived: Knowledge, history, alterity. New York: Routledge, 2015a.

PINAR, William F. Foreword. IN: HENDERSON, J. C., et al, Reconceptualizing curriculum development. Inspiring and informing action. New York: Routledge, 2015b, p. XI-XVI.

PINAR, William F. Working from within, together. IN: M. A DOLL (Ed.), The reconceptualization of curriculum studies. A festschrift in honor of William F. Pinar. New York: Routledge, 2017, p. 194-205.

RAMALHO, Betania L.; Nuñez, Isauro B. Aprendizagem da docência, formação e desenvolvimento profissional: trilogia da profissionalização docente. IN: RAMALHO, B. L.; NUÑEZ, I. B. (Org.). Formação, representações e saberes docente. Campinas: Mercado das Letras, 2014, p. 17-37.

RAMOS, Ana. Implementação de novas práticas pedagógicas no ensino superior. Revista Portuguesa de Educação, v. 26, n. 1, p. 115-141, 2013.

SHAY, Suellen. Curriculum at the boundaries. Higher Education, n. 71, n. 6, p. 767-779, 2016.

TRUEIT, Donna. Complexities of the complicated conversation. IN: M. A. DOLL (Ed.), The reconceptualization of curriculum studies. A festschrift in honor of William F. Pinar. New York: Routledge, 2017, p. 161-169.

WALLIN, Jason, J. Representation and the straightjacketing of curriculum’s complicated conversation: the pedagogy of pontypool’s minor language. Educational Philosophy and Theory, v. 44, n. 4, p. 366-385, 2012.

WONG, Arch C. Moving from a transmission to a social reform teaching perspective: using teacher’s action research as critical pedagogy in higher education. Canadian Journal of Action Research, v. 15, n. 3, p. 48-64, 2014.

WOZOLEK, Boni. Deliberative conversation: possibilities of equity in everyday schooling. IN: HENDERSON, J. C., et al, Reconceptualizing curriculum development. Inspiring and informing action. New York: Routledge, 2015, p. 99-109.

YOUNG, Michael F. Por que o conhecimento é importante para as escolas do século XXI? Cadernos de Pesquisa, v. 46, n. 159, p. 18-37, 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.24109/2176-6673.emaberto.29i97.%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


Em Aberto, Brasília, DF, Brasil. e-ISSN:  2176-6673

Licença Creative Commons A Em Aberto está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

EdubaseDiadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas BrasileirasPublic Knowledge Project
EZ3 - Elektronische ZeitschriftenbibliothekOEI - Organización de Estados IberoamericanosIbict
LatindexBASE