Contribuições do perspectivismo ameríndio para as pesquisas em Filosofia da Educação

Alexandre Simão Freitas

Resumo


Este ensaio especulativo analisa o papel que sistemas de pensamento não ocidentais podem ocupar nas pesquisas filosófico-educacionais. A intenção é interrogar a maneira como o campo da Filosofia da Educação, no Brasil, tem reconhecido a pluralidade dos modos de pensar. O argumento ancora-se em alguns aspectos da chamada filosofia ameríndia, tematizando uma possível e desejável interlocução com outras vozes e sistemas de pensamento. Nesse percurso, aposta-se na possibilidade de pensar a formação humana sob os traços ainda tênues de uma abertura ao outro enquanto esforço sistemático para promover o diálogo efetivo com diferentes matrizes culturais e epistêmicas.

 

 


Palavras-chave


Filosofia da Educação; pesquisa; perspectivismo ameríndio.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.99i252.3731

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

 

Rev. Bras. Estud. Pedagog., Brasília, DF, Brasil. e-ISSN: 2176-6681

Licença Creative Commons 

Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional


 EdubaseEducaEZ3 - Elektronische Zeitschriftenbibliothek
Hapi OnlineLatindexOEI - Organización de Estados IberoamericanosScielo - Scientific Eletronic Library Online