A política educacional nacionalista e o aspecto linguístico na era Vargas: vestígios na escola primária

Ademir Valdir dos Santos

Resumo


Analisa como a educação escolar a serviço do nacionalismo atingiu instituições primárias de regiões de imigração alemã durante o governo Vargas. Resgatam-se vestígios das propostas didático-pedagógicas em livros e manuais didáticos, programas de ensino, material de propaganda e cadernos de alunos e professores. Os registros linguísticos evidenciam a proibição do uso da língua alemã e a obrigatoriedade da utilização do português. A escrita bilíngue indica o desenvolvimento de novas práticas pedagógicas, com o método de abordagem tradicional (gramática-tradução). A escrita revela o uso de textos e imagens como conteúdo estratégico para a inculcação ideológica de valores e atitudes patrióticas na infância.

Palavras-chave


História da Educação; Nacionalismo; Linguagem; Escola Primária

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.90i225.522

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





Rev. Bras. Estud. Pedagog., Brasília, DF, Brasil. e-ISSN: 2176-6681

Licença Creative Commons A Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

EdubaseDiadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas BrasileirasLatindex
EZ3 - Elektronische ZeitschriftenbibliothekOEI - Organización de Estados IberoamericanosIbict
Public Knowledge ProjectDOAJ - Directory of Open Access JournalsREDIB - Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico
 Public Knowledge Project