A universidade na sua constituição: criação, reformas e implicações político-epistemológicas

Gildo Volpato

Resumo


Revisa e apresenta o resultado de estudo bibliográfico sobre os aspectos históricos, políticos e epistemológicos que motivaram a criação, as reformas e o modo de atuação das universidades brasileiras. Aponta aspectos históricos que ajudam a entender a atitude do Estado brasileiro em adotar uma posição de avaliador depois da LDB. Reflete sobre a trajetória da universidade brasileira e diz que houve ações que marcaram o atual ensino superior em nosso País. Conclui que a universidade é uma instituição social não acabada, que continua sendo ressignificada em cada tempo e contexto, tendo em vista os atores sociais, as bases epistemológicas e os condicionantes culturais, políticos e econômicos que a produzem.

Palavras-chave


universidade; reformas; políticas; Estado; avaliação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.92i232.673

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





Rev. Bras. Estud. Pedagog., Brasília, DF, Brasil. e-ISSN: 2176-6681

Licença Creative Commons A Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

EdubaseDiadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas BrasileirasLatindex
EZ3 - Elektronische ZeitschriftenbibliothekOEI - Organización de Estados IberoamericanosIbict
Public Knowledge ProjectDOAJ - Directory of Open Access JournalsREDIB - Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico
 Public Knowledge Project