A Lei de Cotas e o acesso à Universidade Federal de Alfenas por estudantes pertencentes a grupos sub-representados

Palavras-chave: ação afirmativa; impacto social; sistema de cotas.

Resumo

Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa que buscou compreender o alcance da Lei de Cotas na Universidade Federal de Alfenas (Unifal-MG), com base na análise de dados de estudantes ingressantes em 2018. Esse alcance foi medido pela taxa de ocupação das vagas destinadas a estudantes público-alvo da Lei de Cotas e por simulações quanto a um possível cenário de como as vagas seriam ocupadas na ausência dessa ação afirmativa. Os resultados mostram que as vagas destinadas a estudantes público-alvo da Lei de Cotas não foram preenchidas em sua totalidade, apresentando menores taxas de ocupação nas categorias reservadas para aqueles egressos da rede pública de ensino autodeclarados pretos, pardos e indígenas. Ademais, as simulações realizadas evidenciam que, sem a Lei de Cotas, estes últimos teriam sido os estudantes menos incluídos nessa universidade em 2018, principalmente aqueles com renda per capita inferior a 1,5 salário mínimo. O estudo reforça a importância da manutenção da Lei de Cotas e aponta para a necessidade de que se desenvolvam ações institucionais para ampliar a abrangência do processo seletivo da instituição para um maior contingente de estudantes autodeclarados pretos, pardos e indígenas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ronaldo André Lopes, Universidade Federal de Alfenas (Unifal). Alfenas, Minas Gerais, Brasil.

Graduado em Matemática pela Universidade Federal de Alfenas (Unifal-MG).  Alfenas, Minas Gerais, Brasil.

Guilherme Henrique Gomes da Silva, Universidade Federal de Alfenas (Unifal). Alfenas, Minas Gerais, Brasil.

Doutor em Educação Matemática pela Universidade Estadual de São Paulo (Unesp). Rio Claro, São Paulo, Brasil.

 

 

Eric Batista Ferreira, Universidade Federal de Alfenas (Unifal). Alfenas, Minas Gerais, Brasil.

Doutor em Estatística e Experimentação Agropecuária pela Universidade Federal de Lavras (Ufla). Lavras, Minas Gerais, Brasil.

Publicado
28-04-2021
Seção
Estudos