Alteridade e interculturalidade na escola: um estudo etnográfico sobre estudantes bolivianos em São Paulo

Palavras-chave: alteridade; interculturalidade; migração boliviana.

Resumo

No início do século 21, a questão das migrações externas no Brasil voltou à cena. Na cidade de São Paulo, destaca-se a imigração boliviana, que tem mantido seu fluxo de entrada há algumas décadas e fomentado a matrícula de estrangeiros em escolas públicas da região. Considerando a importância da presença de alunos bolivianos na rede municipal de ensino de São Paulo, o objetivo deste artigo é analisar como ocorrem as relações entre estudantes bolivianos e educadores e entre aqueles e seus pares no ambiente de uma escola pública. Foi escolhida uma escola municipal de ensino fundamental situada no bairro da Mooca, zona leste da capital paulista, a qual contava com uma quantidade considerável de crianças bolivianas no ciclo de alfabetização. A metodologia utilizada foi o estudo etnográfico com observação participante. Também foram realizadas entrevistas com educadores da escola. Os principais pontos trabalhados neste estudo foram questões relacionadas à discriminação, ao preconceito e à essencialização de identidades em um espaço em que a interculturalidade não é promovida, apesar da diversidade cultural. A análise dos dados foi feita à luz da teoria social no que se refere à diversidade cultural, interculturalidade e alteridade. Ao final, conclui-se que a instituição escolar deve construir práticas de integração de diferentes matrizes culturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Janaina Silva Gondin, Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, São Paulo, Brasil.

Mestre em Ciências Humanas pela Universidade Federal do ABC (UFABC). Santo André, São Paulo, Brasil.

Ana Keila Mosca Pinezi, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). Uberaba, Minas Gerais, Brasil.
Doutora em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, São Paulo, Brasil.
Marilda Aparecida de Menezes, Universidade Federal do ABC (UFABC). Santo André, São Paulo, Brasil.

Doutora em Ciências Sociais pela University of Manchester. Manchester, Inglaterra.

Publicado
31-12-2020
Seção
Estudos