Anísio Teixeira e o Plano Nacional de Educação de 1962 – qualidade social na construção da pessoa humana e da sociedade

Palavras-chave: Anísio Teixeira; planejamento educacional; Plano Nacional de Educação.

Resumo

Este texto aborda o planejamento educacional concebido por Anísio Teixeira como relator do I Plano Nacional de Educação – PNE (1963-1970). O estudo tem como objetivo identificar as influências nacionais e internacionais que concorreram para a agenda do I PNE e compreender os sentidos de sua formulação e implementação no contexto em que foi gestado. Foi adotado como percurso metodológico o referencial do ciclo de políticas a partir de uma das suas dimensões. Para análise, foram selecionados estudos acadêmicos, documentos do acervo da Biblioteca Virtual Anísio Teixeira, do Memorial Darcy Ribeiro e referências bibliográficas. Seguindo nessa direção, verificou-se que o PNE de 1962 sintetiza a ideia de Anísio Teixeira de que a educação não é um privilégio e, ao contrário do que se apregoa, sua exequibilidade estava ancorada a uma estratégia de país, com recursos para a sua implementação. O plano foi incorporado pelo Plano Trienal do governo João Goulart. Sua efemeridade se deve mais à sua interrupção, em 1964, do que ao conceito de educação pública, defendido no planejamento das ações previstas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Helena Amâncio, Prefeitura Municipal de Patos de Minas. Patos de Minas, Minas Gerais, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade de Brasília (UnB). Brasília, Distrito Federal, Brasil.

Remi Castioni , Universidade de Brasília (UnB). Brasília, Distrito Federal, Brasil.

Doutor em Educação pela Universidade de Campinas (Unicamp). Campinas, São Paulo, Brasil.

Publicado
26-11-2021
Seção
Estudos