Formação inicial de professores de Física no Brasil e em Portugal: uma análise comparativa de modelos de formação

  • António Cachapuz Universidade de Aveiro/CIDTFF, Departamento de Educação e Psicologia, Aveiro, Portugal
  • Alexandre Shigunov Neto IFSP campus Itapetininga
  • André Silva Instituto Federal de São Paulo (IFSP), campus Itapetininga

Resumo

O estudo de modelos educativos estrangeiros pode auxiliar a compreensão dos modelos do nosso País. Tendo como referencial os ciclos de contextos de Stephen Ball, o objetivo deste trabalho é contribuir para a reflexão crítica sobre singularidades, similaridades e diferenças dos modelos de formação inicial de professores de Física no Brasil e em Portugal, investindo na sua compreensão com um sentido não normativo e não prescritivo. A pesquisa seguiu uma perspectiva de estudo de caso múltiplo, abordando os contextos de formação e arquitetura, bem como a organização científico-pedagógica dos cursos em relação às dimensões: abrangência curricular, articulação entre teoria e prática, abertura curricular, fomento à investigação e interdisciplinaridade. Em ambos os casos, emerge uma visão economicista da formação, embora sua incidência na arquitetura de formação seja diversa. Em Portugal, faz-se por meio de um mestrado sequencial de Bolonha, e, no Brasil, por meio de mecanismos de precarização e flexibilização profissional, ainda que uma perspectiva integradora se faça presente.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
18-06-2019
Seção
Estudos